O fim dos oligopólios da midia está próximo

 

Do Correio do Brasil

 

Oito autores de blogs brasileiros, convidados para uma coletiva com a presidenta Dilma Rousseff, na tarde desta sexta-feira, ouviram da também candidata petista que, se vencer as eleições, não permitirá mais a existência do oligopólio da mídia conservadora, em curso no país. A Secretaria de Comunicação da Presidência (Secom) atendeu a uma solicitação feita pelo Centro de Estudos de Mídia Alternativa Barão de Itararé e pela Altercom.

Participaram da coletiva a professora Conceição Oliveira, representando o Blog Maria Frô, o advogado Eduardo Guimarães (Blog da Cidadania), e os jornalistas Renato Rovai (Revista Fórum), Conceição Lemes (Viomundo), Altamiro Borges (Blog do Miro), Miguel do Rosário (O Cafezinho), Paulo Moreira Leite (247), e Kiko Nogueira (Diário do Centro do Mundo). Esta foi a primeira vez, em quase quatro anos, que a presidenta Dilma concede uma entrevista a blogueiros.

Aos entrevistadores, Dilma Rousseff disse que o oligopólio da mídia será extinto, caso se mantenha no cargo por mais quatro anos. Entre outras medidas, Dilma prometeu o fim da propriedade cruzada, quando uma mesma empresa é dona de empresas de rádio, TV, jornal e internet, o que já é previsto pela Constituição de 88 e jamais foi regulamentado. Os conglomerados mais atingidos, em uma eventual decisão desta magnitude, serão as Organizações Globo, os diários conservadores paulistanos Folha e Estado de S. Paulo; além da editora Abril, que edita a revista semanal de ultradireita Veja.

Segundo Dilma, a decisão de intervir na Comunicação nada tem de ‘bolivariana’, conforme tentam justificar empresários do setor e instituições ligadas ao patronato, quando se caminha nesta direção:

– Não é controle de conteúdo, mas de propriedade e de regulação econômica!

Dilma reforçou, ainda, a ideia de que um oligopólio prejudica a pluralidade cultural do país, uma vez que as diversas culturas regionais são ofuscadas. A “regulação econômica” também foi comentada pela presidenta que, no entanto, não detalhou como seria feita.

Primeiro turno

 

Caso a candidatura de Dilma Rousseff siga no ritmo atual, segundo tendência apresentada na pesquisa Datafolha, divulgada enquanto ela conversava com os blogueiros, poderá cumprir a promessa de instituir o marco econômico da mídia no país mais cedo do que imagina. Os números mostram que Dilma dobrou a vantagem sobre Marina Silva (PSB) e poderá vencer as eleições ainda no primeiro turno.

De acordo com a pesquisa, Dilma subiu três pontos e alcançou 40%, enquanto Marina caiu três, indo para 27%, e Aécio Neves (PSDB) oscilou um ponto para cima, chegando a 18% das intenções de voto. Com os 40% que candidata à reeleição pelo PT apresenta, diminuem, assim, as chances de haver segundo turno.

Assim, se a eleição fosse hoje, a petista terminaria a primeira etapa da disputa com 13 pontos à frente de Marina. Na pesquisa feita pelo instituto na semana passada, a vantagem de Dilma sobre Marina era de 7 pontos. A distância de 13 pontos é idêntica a que foi mostrada na véspera, na pesquisa Vox Populi/CartaCapital.

Em um eventual segundo turno entre Dilma e Marina, a presidenta aparece com 47%, contra 43% da ex-senadora e ministra do Meio Ambiente. Para a pesquisa nacional, o Datafolha entrevistou 11.474 pessoas em 402 municípios do País. O registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é BR-00782/2014.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *