Loteamentos clandestinos em Salto

 

 

 

A Prefeitura da Estância Turística de Salto abriu um processo na última quinta-feira, dia 06 de junho, para apurar indícios de possíveis irregularidades em um loteamento localizado no bairro Buru. A iniciativa se deu a partir do acionamento da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e da Diretoria do Meio Ambiente. Tomando como base a denúncia encaminhada pelo vereador Willhes Gomes da Silva (PT), no início da semana.

willhes irregularidades loteamento rural 1
Vereador Willhes e João Di Conti no local

O parlamentar recebeu denúncias de pessoas que tiveram a oferta de terrenos à venda no local e, desconfiaram da irregularidade dos imóveis. “Algumas pessoas me procuraram dizendo que receberam oferta para comprar terrenos de 1000 m2 numa área próxima ao Clube das Lojas Cem e desconfiaram. Segundo consta, um corretor de nome Mário, da cidade de Indaiatuba, seria o responsável pelas vendas e estaria aos finais de semana de plantão no local. Por isso resolvi procurar o Poder Público para investigar se na localidade existe algum loteamento aprovado”, disse Willhes.

Já na manhã de quinta-feira, o vereador esteve no local acompanhado do Diretor de Meio Ambiente da Prefeitura, engenheiro João de Conti Neto. Que utilizando um equipamento profissional de georreferenciamento, confirmou que a área está dentro dos limites do município de Salto.

No dia seguinte, uma nova visita foi realizada no local, desta vez Willhes foi acompanhado pelo Secretário de Desenvolvimento Urbano, engenheiro Luciano Oliveira Santos, pela Guarda Civil Municipal e, Fiscais da Prefeitura. Na segunda visita, inclusive, foi constatada a perfuração de um poço artesiano, com data do dia anterior.

“Não há projeto aprovado, alvará, nem mesmo sabemos se há outorga para a perfuração do poço que encontramos aqui. Nossa preocupação se refere exatamente aos possíveis compradores de áreas que serão os maiores prejudicados”, explicou o secretário.

Durante a vistoria do local, uma pessoa interessada na compra de uma área, se dirigiu até os representantes do Poder Público, se dizendo interessada pela oferta de lotes de 1000 m2 por cerca de R$35 mil. Segundo ela, teria visto o anúncio em um jornal esta semana.

Se você gostou desse conteúdo, considere deixar um comentário ou assine o FEED e receba as atualizações de Wilson Roberto Caveden diretamente em seu leitor de RSS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *