Juvenil reúne imprensa e contrapõe informações erradas divulgadas pela atual administração

do Movimento Mais Salto

O ex-prefeito de Salto, Juvenil Cirelli, reuniu na manhã desta quarta-feira representantes da imprensa local e regional para contrapor uma série de informações erradas que vem sendo divulgada e que exigiram o seu posicionamento. “Sempre fui transparente. Ao assumir em 2013 disse que havia herdado um orçamento com 10% de déficit e sai deixando esse déficit em 4%. Não fiquei o tempo todo dizendo que os problemas que recebi eram do anterior e tratei de trabalhar, de ser criativo com minha equipe, de achar caminhos, com organização e planejamento e não fiquei improvisando e só reclamando”, disse.
Juvenil se disse tranquilo quanto ao seu governo e que espera dos órgãos fiscalizadores, como Tribunal de Contas, Câmara de Vereadores e Ministério Público, que avaliem e aprovem os anos de 2015 e 2016, já que 2013 e 2014 já foram aprovados. Lembrou ainda que todos os projetos herdados do governo anterior foram executados em sua administração, como do Trem Republicano, da Ponte Estaiada e de tantos outros. “As parcerias com empreendedores foram destaques em nosso governo e trouxeram mais de R$ 70 milhões em investimentos para a cidade. Parte desse recurso ainda vai ser executado em 2017 para frente e cabe ao governo atual manter a fiscalização para o benefício do povo”, destacou.
Juvenil esteve acompanhado na coletiva de seus ex-secretários Paulo Henrique Soranz, Wilson Roberto Caveden e Luiz Eduardo Colaço. Os principais tópicos abordados foram:
– Transição: Juvenil mostrou fotos dos muitos encontros realizados em 2016 com a equipe de Geraldo Garcia e inclusive documento assinado por ele que confirmava os encontros da transição que ocorreram;
– Saúde: “O elogio do atual secretário ao Programa de Saúde da Família que implantamos foi muito bom. O AME está renovado por 3 anos e nenhum serviço teve descontinuidade”, apontou. Quanto à clínica do Cecap, lembrou que há dinheiro em caixa para a compra dos equipamentos e não entende tanta demora para ser colocada em funcionamento;
– Educação: “Vão ter que fazer muito mais creche que nós para serem bons e terão que ter a rede aprovada em todas as provas nacionais”. Juvenil lembrou ainda que recebeu em 2013 a escola do Planalto inacabada, a creche do Jardim Nair Maria inacabada e sem empresa atuando e do Santa Efigênia cheia de problemas. “A creche do Laguna já tem dinheiro para sua continuidade; a do Icaraí está 95% pronta e tem dinheiro e a do Soberano também tem dinheiro para funcionar. Só não entendo a demora”, frisou.
– Cartão Escolar: Juvenil disse que ser prefeito em época de crise exige criatividade e coragem. Lamentou o fim do Cartão do Material Escolar que beneficiava milhares de crianças e o comércio local. Quanto ao Tribunal de Contas, disse que há assessoria da Prefeitura para defende-la nos apontamentos feitos. Juvenil lamentou que Geraldo Garcia não tenha pensado, em 2011, em apontamentos do Tribunal de Contas na hora de contratar uma assessoria jurídica sem licitação, por R$ 2,5 milhões, para brigar com o INSS e cuja ação gerou um prejuízo de mais de R$ 24 milhões.
Esporte – Juvenil disse deixar a cidade na 1ª Divisão dos Jogos Regionais e com a estrutura esportiva em boas condições, além do apoio aos esportistas locais. Ele disse que o vereador Alemão do Santa Cruz deveria ler direito o contrato de Salto com o Projeto Divino Salvador, que dava aulas de futebol para cerca de 500 crianças a um custo de pouco mais de R$ 6 mil. “Essa discussão em cima do Tigrinhos, que é um projeto social gratuito do time do São Bernardo é só para desviar o foco de que romperam com a Divino Salvador que prestava um excelente trabalho para Salto”, disse.
Empresas – Juvenil torce para que o atual governo conquiste muito mais empresas para Salto do que as que chegaram em sua gestão: 52. “Eu não vou inaugurar a Cobreq e nem o São Vicente, por exemplo, mas chegaram em nossa gestão e vão beneficiar Salto”.
Cultura – Juvenil disse que a nova licitação para publicação dos atos oficiais da Prefeitura, em vigor desde janeiro, permitirá a economia de mais de R$ 250 mil por ano e que esse dinheiro poderia ser usado na execução da Paixão de Cristo, por exemplo. “O custo do centímetro por coluna caiu de mais de R$ 5,60 para menos de R$ 2,00. É economia para os cofres locais. Eu entendo a necessidade de cortar despesas, mas não sei se cortaria a Paixão e torço para que não suspendam os editais de cultura, que tanto trabalho tivemos para implementar democraticamente na cidade”.
Servidores – Juvenil parabenizou o atual governo por conceder 6% de aumento aos servidores, desde que ele cumpra o acordo coletivo integralmente, como definido com o sindicato em 2016, mantendo a progressão trienal, melhorando a cesta básica, incorporando a bonificação de R$ 50 ao salário de todos.
Extinção da Secretaria do Meio Ambiente e da Defesa Social é um retrocesso imenso para Salto
Na coletiva dada à imprensa Juvenil Cirelli lamentou muito e classificou como um retrocesso a extinção da Secretaria do Meio Ambiente e da Secretaria da Defesa Social. “Recuamos no mínimo 20 anos na questão ambiental e os guardas civis municipais perderam muito de sua representatividade e a chance de serem ouvidos, respeitados e valorizados”, afirmou.
Juvenil disse não entender como o SAAE vai fiscalizar a questão ambiental se na verdade é um órgão que deveria ser fiscalizado. O ex-prefeito lembra que Salto chegou a ser a 17ª melhor cidade no ranking do Município Verde Azul do Estado. “Para serem melhores terão que ser a 16ª pelo menos”, disparou.
Ainda quanto ao SAAE, Juvenil disse que até dezembro passado a população não sofria com falta d´água e que a autarquia recebeu o maior montante de investimentos em seu governo, de mais de R$ 30 milhões, sem contar o total investido por empresas em parcerias com a Prefeitura.
Quanto à Defesa Social, cuja pasta foi extinta, ele questiona o que significará para o cofre municipal a economia do salário do secretário, já que a maioria dos outros cargos era ocupada por pessoas da própria GCM. “Falaram do Canil, basta ver que em todas as apresentações nas escolas municipais a equipe participava”, destacou.
Ex-prefeito questiona por que CEI criada da CSO está parada na Câmara
Questionado por jornalistas sobre a criação de uma Comissão Especial de Inquérito da Câmara para investigar o contrato firmado com a Corpus Saneamento e Obras (CSO) para a Parceria Público Privada da limpeza pública, Juvenil disse estranhar a criação e posterior “esquecimento” da CEI. “É um excelente momento de mostrarmos a dimensão do processo feito, da parceria, das obrigações que a empresa tem. Hoje pagamos menos que pagaríamos se mantivéssemos o contrato anterior herdado. E vejam quantas coisas estão sendo feitas: coleta seletiva, ecopontos, campanhas de conscientização, manutenção da cidade, manutenção do Aterro Sanitário e uma infinidade de outras coisas”, disse.
Dívida: qual o valor real?
Juvenil e Wilson Caveden explicaram à imprensa a realidade das dívidas herdadas pelo atual governo e que nunca serão de fato os R$ 30 milhões dito tantas vezes pelo atual governo. Lembraram que o déficit orçamentário em 2012 foi de 10% e o de 2016 de apenas 4%. “O vereador Antonio Cordeiro pediu cópia das notas das dívidas que tanto falaram e o valor não ultrapassa os R$ 13 milhões. Só será R$ 30 milhões de fato se eles acrescentarem os R$ 24 milhões da dívida construída por eles com o INSS. Na hora que o TCE apreciar as contas de 2016 verá que deixamos R$ 7 milhões. Então, o que tentam dizer é balela”, destacou.
Wilson mostrou à imprensa dados do Portal da Transparência da Prefeitura municipal que mostravam em 14 de março a receita da cidade em mais de R$ 76 milhões e a despesa em pouco mais de R$ 42,5 milhões. “Esse superávit de R$ 34 milhões é para que? ”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *