A Festa do Salto e os cães

Domingo, dia 15 de setembro, próximo das 22 horas.

Minha filha, que nos finais de semana está por aqui, foi para a Festa do Salto hoje.

Assim como muitos saltenses, sabe ser essa festa a maior de nossas tradições, visto que existe desde há muitos e muitos anos.

Em minha época de infância era a época mais esperada de todo o ano na cidade. Na Festa do Salto, inúmeras barracas com diversos produtos a venda eram montadas na praça, desde a R. Monsenhor Couto, ocupando pelo menos quatro quarteirões, além da praça. Para nós, crianças, era o grande momento de brincar no parque que ali se instalava. Lembro-me que minha maior alegria era poder andar nos automóveis que, como os carrosséis, eram perfilados e rodavam em uma grande circunferência e nós, crianças, imaginávamos dirigindo um carro.

Tinha a roda gigante, temida pelas crianças mas adorada pelos jovens. Com o passar do tempo outros brinquedos foram surgindo e a emoção da espera e da participação eram constantes a cada ano.

O tempo foi passando, as facilidades em se conseguir o que a Festa do Salto nos trazia, acabou por esvaziar bastante o grande volume de barracas e seus produtos. Mas ela nunca deixou de ser o maior evento da cidade, não só pela sua tradição, mas pela comemoração religiosa que vem com ela.

Brigas entre as lideranças da cidade aconteceram e hoje temos (eliminadas as tensões) duas festas paralelas: a chamada festa profana e a religiosa, mas ambas com atrações muito parecidas nos detalhes.

Nos últimos anos parece que as autoridades transformaram a Festa do Salto em uma “batata quente”, pressionados que eram por uma casta da cidade que não queria “aquela festa” perto deles. Os locais foram se alternando e o perigo de se perder uma tradição ficou evidente nesses movimentos.

Em 2013 o governo de Juvenil e Jussara, que tem como slogan SALTO DE TODA NOSSA GENTE, resolve fortalecer a tradição popular de nossa cidade e recoloca a Festa do Salto na Praça mais famosa da cidade.

Teremos o balanço dela nos próximos dias, mas ouso me antecipar e dizer que o maior dos objetivos foi alcançado: oferecer aos saltenses uma festa popular, organizada para todos e todas de forma bonita e sadia. Na primeira semana uma média de 8 mil pessoas por dia de festa dão o tom do que quero dizer com festa popular. Sem dúvida nenhuma, a população teve momentos agradáveis e felizes participando da Festa do Salto neste 2013.

Mas existem os que sempre encontrarão motivos para incômodos. E o grande discurso contra a realização da festa foi….. o trânsito.

É….o trânsito. Ficaram irritados com tanto movimento, com tanta gente querendo participar da festa e com tanto congestionamento por conta disso. A tranquilidade de se chegar em casa a hora que quer, do jeito que quer, sem povo para atrapalhar, foi quebrada. E reclamaram. Reclamaram nos jornais, reclamaram na Câmara Municipal, reclamaram pelas esquinas e pelos cantos mofados de quem não gosta de povo.

Um dos editoriais chegou a dizer “….uma festa atrapalhando o trânsito da cidade….”. Como assim, “uma festa”??? É a Festa do Salto. A maior de todas, a que comemora a existência de nossa cidade a partir da capela erguida em sua fundação. Uma festa do povo!!!

Impressionante como as afirmações e posicionamentos são preconceituosos e cheios de egoismo!

Em qual cidade desse país um grande evento não cria transtornos no trânsito? Ninguém dos que reclamaram tanto passou por isso? Em shows nas cidades vizinhas? Em grandes eventos na capital de nosso estado? Nunca?

O fato de ser um evento justifica os transtornos por si só. O fato de ser a Festa do Salto mais ainda.

Sem contar que nossa cidade é repleta de alternativas para chegarmos ao mesmo lugar. Se o problema era a entrada ou a saída pela ponte do Rio Tietê, no mínimo três outras entradas e/ou saídas temos na cidade para compensar o transtorno tão cantado. Eu mesmo usei um deles na noite de sexta-feira e cheguei em casa no mesmo tempo que chegaria por lá.

Lamentável que o egoismo fale mais alto nesses momentos. Lamentável que a quebra da tranquilidade individual de alguns seja motivo de tantos alardes e ecos na cidade. Em vez de aplaudirmos a participação maciça da população que esteve presente, nos preocupamos com os que tiveram “transtornos no trânsito”.

Todos nós sabemos que Salto demanda um local apropriado para eventos. Mas ninguém fez isso até agora. A alternativa então seria deixar o povo sem sua festa? Seria, em nome da tranquilidade do trânsito, não fazer ou fazer em um local distante e difícil para o povo participar? Evidente que não. E a decisão do governo Juvenil e Jussara novamente foi a mais acertada diante de nossa tradição popular e das condições que a cidade tem.

Assim como é acertada a decisão desse governo em negociar com seriedade e profundidade um espaço de eventos digno para toda a nossa população. Não improvisado, em qualquer cercado ou rapadão: um espaço que valorize os eventos e principalmente o povo de nossa cidade. Tenho certeza que isso acontecerá em breve. Só não tenho certeza que escaparemos da critica dos acomodados e egoístas, pois estes nunca deixarão de existir.

Os cães ladram…….

Se você gostou desse conteúdo, considere deixar um comentário ou assine o FEED e receba as atualizações de Wilson Roberto Caveden diretamente em seu leitor de RSS.

3 comentários sobre “A Festa do Salto e os cães”

  1. Muito bem escrito, acertou na mosca. O problema do trânsito na cidade não ocorre por conta do fechamento dessa ou daquela via, acontece que o número de carros que estão circulando é uma absurdo, não há como resolver esse problema de forma definitiva, há apenas possibilidades de remediar a situação. As montadoras vendem os carros, o Estado que resolva o problema do trânsito, essa equação não pode ser resolvida.

    Além do mais caro Tetéia, o Geraldo governou sem oposição, vocês(Juvenil)terão que governar com ela. Aqueles que perderam a prefeitura deram um jeitinho de colocar seus componentes em vários setores e daí fazer aquele trabalho de minar as ações do governo atual.

    Parabéns pela iniciativa e pelo texto. Vocês precisam trabalhar dioturnamente na diuvulgação do trabalho que vai sendo feito e na contra-argumentação para refutar os formadores de opinião anti-juvenil.

  2. Parabéns a todos os organizadores a Festa do Salto foi um sucesso participei com minha familia todos os dias e com certeza o melhor local é na Praça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *